Fórmula 1, Gasparov Motorsport

Senna

Em 1º de Maio de 1994, 18 anos atrás, o mundo do automobilismo parou. Parou na curva Tamburello, no autódromo Enzo e Dino Ferrari, no GP de San Marino, em Ímola, Itália. Naquele fatídico dia a Fórmula 1, o Brasil, o mundo perdeu um dos maiores, senão o maior, piloto de todos tempos.

Já escrevi aqui que nunca o vi correndo ao vivo, nunca assiti nenhuma de suas provas, somente alguns VT’s, alguns vídeos e uns especiais. Nem por isso deixo de reconhecer seu valor. Tinha talento e principalmente, garra, que o diferenciava dos demais. Já estou acostumado com a “tietagem” dos brasileiros, que lembram e exaltam tudo relacionado à Senna. O que me surpreendeu foi, desde sábado, ver italianos, portugueses e franceses publicando fotos e frases de Ayrton no Facebook e no Twitter. Que o paulista era global, todos sabem, mas acho que não tinha noção do significado dele para o resto do mundo.

Mas Ayrton foi um só! Rubinho, Massa e até Bruno Senna, seu sobrinho, são pilotos, pessoas, diferentes. Parem de procurar um Senna em cada piloto brasileiro que aparece com chances de chegar à F1. Se tivermos outro campeão, digo “se” porque o automobilismo nacional vai de mal a pior, ele será por seus méritos, não porque encarnou o espírito de Senna.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s