Fórmula 1

Grande Prêmio da Bélgica

Getty Images

Como não podia ser diferente, o GP da Bélgica foi um corridão! Com muita movimentação até a volta vinte, Vettel voltou a vencer depois de três provas e aumenta ainda mais sua vantagem sobre Webber na classificação geral. O alemão perdeu a liderança para Rosberg, no início da prova mas recuperou na volta três. Daí em diante alternou-se o líder somente quando Sebastian parava nos boxes, que muitas vezes recuperava com boas ultrapassagens antes mesmo de seus adversários pararem. Webber largou muito mal, mas fez uma boa corrida de recuperação e voltou à segunda posição. Button não apareceu até a volta 22, quando iniciou uma sequência de ultrapassagens até chegar à 3º e subir ao pódio, depois de largar em 13º. Ainda sofrendo com os pneus duros, a Ferrari viu Fernando Alonso, que foi muito bem na primeira metade da prova, ser presa fácil para Button e perder o pódio à três voltas do fim. Em quinto, Schumacher, depois de largar no útimo lugar do grid, fez uma ótima corrida de recuperação que valeu pela comemoração dos 20 anos de sua estréia.

Mark Thompson/Getty Images

Rosberg foi combativo a corrida inteira, mas sua mercedes não tinha o mesmo ritmo dos líderes, e terminou em sexto. Sutil foi discreto e conseguiu um bom sétimo lugar. Massa, 8º, foi mal. Na quarta posição, largou bem e chegou a ser terceiro, mas ao atacar Rosberg, na luta pela segunda posição, foi ultrapassado por Alonso e Hamilton. A partir disso, ainda na volta 4, perdeu ritmo e não ofereceu resistência à nenhum adversário. Por problemas ainda não conhecidos, fez uma parada extra no final, e quase ficou fora da  zona de pontuação. Petrov e Maldonado fecharam os pontos, em 9º e 10º, respectivamente.

Sutton Images

Bruno Senna, sensação no sábado, depois do improvável sétimo lugar no grid, bateu no início e despencou. Mas conseguiu ser 13º, que não é ruim, considerando ser sua estréia em um carro de verdade – a Hispania de 2010 era, e continua sendo, um arremedo. Devido a boa classificação, gerou-se uma espectativa sobre a posição final da prova, deixando de lado a situação e falta de experiência do brasileiro. Outro representante verde e amarelo, Barrichello também não foi bem. Sofrendo com o FW33, talvez por culpa dos motores Cosworth, foi o 16º. Hamilton envolveu-se em um acidente com Kobayashi e abandonou a prova. Nesta situação, o japonês não teve culpa, pois estava na linha de fora e não mudou a tragetória em nenhum momento.

Foi um bom retorno, depois de quatro semanas de descanso.  A próxima etapa será em Monza, Itália, dias 09, 10 e 11 de Setembro.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s